• ministeriovidacwb

Limites


Talvez uma das maiores mentiras que adentrou à igreja, é que estabelecer limites não faz parte do cristianismo. Percebemos relacionamentos tóxicos, abusivos e manipuladores, dentro de famílias cristãs, no convívio entre pastores e ovelhas, entre irmãos na fé, entre cristãos e não cristãos. Muitos não conseguem estabelecer limites em seus relacionamentos e muitos não conseguem respeitar os limites impostos por outros. Amar não significa concordar com tudo, muito menos aceitar influências que não provêm de Deus. Amar também não significa permitir que invadam sua intimidade. Alguns sem equilíbrio, que não conseguem viver por meio do Espírito moderado que recebemos de Deus (se é que eles tem o Espírito) insistem em dizer: mas o cristão tem que amar. E quem disse que estabelecer limites não faz parte do amor? O amor é Deus, e Ele é o mestre em limites. Podemos ver isso desde a criação, Ele estabeleceu um limite até onde Adão e Eva poderiam ir, e se eles ultrapassassem o limite imposto morreriam, e foi exatamente o que aconteceu.


Olhe para a natureza, veja o mar, Deus estabeleceu até onde as ondas podem chegar. Agora vamos para a vida terrena de Jesus. Ele não tinha problema algum com limites. Ele tinha doze discípulos, mas apenas três eram convidados para situações mais íntimas. Pedro, João e Tiago foram os convidados para subir o monte da transfiguração, foram eles que Jesus chamou pra mais perto quando foi orar no Getsêmani. Acha que Jesus se preocupava com o que os outros discípulos pensariam dele, porque Ele só chamava os mesmos para estarem com Ele na sua intimidade? Não, Ele não tinha problema algum, nem com limites e muito menos com aprovação humana. Jesus amava a multidão, mas Jesus não era íntimo da multidão. Jesus amava seus discípulos, não apenas os doze, mas todos que seguiam-no de perto, mas era íntimo de três. Jesus amava sua família, mas não deixou de cumprir seu propósito porque seus familiares não concordavam com Ele (seus irmãos não o viam como Messias, pelo contrário, certa vez acharam que Ele estava fora de si e queriam impedi-lo de continuar). Amor e limites andam juntos. Vivemos para cumprir propósitos, e não para sermos aprovados por homens.


Que possamos andar como Jesus andou, ouvindo e obedecendo a direção do Pai, ainda que algumas vezes, isso signifique ir contra a opinião de pessoas que amamos. Certa vez Jesus disse palavras duras, e muitos viraram as costas e o abandonaram, quando isso aconteceu, Ele não teve medo de perder os discípulos que ficaram, pelo contrário, Ele ainda perguntou: vocês também querem ir? O amor não é um sentimento, o amor não consiste em agradar todo mundo, o amor é uma pessoa, o amor é Deus e Deus sempre estabelece limites, sabe por que? Porque limites nos mantêm no caminho, nos mantêm no propósito. Quando desrespeitamos limites, seja infringindo os limites alheios ou não estabelecendo os nossos, nos tornamos vulneráveis e certamente sairemos do propósito de Deus para nossa vida.


Não tenha medo de estabelecer limites, faça o que precisa ser feito debaixo da sabedoria, direção e propósito do Pai. E lembre-se: quem não tem o Espírito não aceita as coisas que vêm do Espírito de Deus, pois lhe são loucura; e não é capaz de entendê-las, porque elas são discernidas espiritualmente.


Mas quem é espiritual discerne todas as coisas, e ele mesmo por ninguém é discernido (1 Coríntios 2:14‭-‬15).


Katiany Lins - Ministério Vida