• ministeriovidacwb

O Evangelho não é a Lei de Moisés – Parte 3


O propósito da Lei era conduzir o homem até Cristo.


Qual era então o propósito da Lei? Foi acrescentada por causa das transgressões, até que viesse o Descendente a quem se referia a promessa, e foi promulgada por meio de anjos, pela mão de um mediador. Antes que viesse essa fé, estávamos sob a custódia da Lei, nela encerrados, até que a fé que haveria de vir fosse revelada. Assim, a Lei foi o nosso tutor até Cristo, para que fôssemos justificados pela fé. Agora, porém, tendo chegado a fé, já não estamos mais sob o controle do tutor. Gálatas 3:19,23-25 NVI

Agora que Cristo chegou, nós não estamos mais debaixo da Lei. Temos um novo sumo sacerdote, que é eterno. E se mudou o sacerdócio, é necessário que haja mudança de lei.


Se fosse possível alcançar a perfeição por meio do sacerdócio levítico (visto que em sua vigência o povo recebeu a Lei), por que haveria ainda necessidade de se levantar outro sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque e não de Arão? Certo é que, quando há mudança de sacerdócio, é necessário que haja mudança de lei. Hebreus 7:11-12 NVI


A Lei de Moisés teve seu propósito, mas agora que estamos em Cristo Jesus recebemos uma nova lei, a lei do Espírito de Vida.


Portanto, agora já não há condenação para os que estão em Cristo Jesus, porque por meio de Cristo Jesus a lei do Espírito de vida me libertou da lei do pecado e da morte. Porque, aquilo que a Lei fora incapaz de fazer por estar enfraquecida pela carne , Deus o fez, enviando seu próprio Filho, à semelhança do homem pecador, como oferta pelo pecado. E assim condenou o pecado na carne. Romanos 8:1-3 NVI


Por isso, insistimos que toda pregação que enfatiza a Lei de Moisés não é capaz de produz vida e nem libertação, apenas fortalece as obras da carne, pois como já vimos no primeiro dia, à força do pecado é a Lei.


O aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a Lei. 1 Coríntios 15:56 NVI


Precisamos da pregação do Evangelho, pois só ele tem poder para salvar o homem. O Evangelho sempre centraliza a suficiência de Cristo Jesus e produz VIDA em todo aquele que ouve e crê.


Cristo é suficiente!


Katiany Lins – Ministério Vida