• ministeriovidacwb

Que amor é esse?




E, se ele causou algum dano a você ou lhe deve alguma coisa, ponha tudo na minha conta. Eu, Paulo, de próprio punho, escrevo isto: Eu pagarei. É claro que não preciso dizer que você me deve a própria vida. Filemom 1:18-19 NAA


Eu nunca havia entendido muito bem qual era o fundamento teológico dessa epístola, até aplicar o filtro chamado Jesus Cristo. O que a história de um escravo fujão que roubou seu senhor estaria fazendo no Canon Sagrado? Cada um de nós já foi ou ainda é o escravo fujão, que vivia em pecado, errante pela estrada da vida. Até que um dia encontramos a Cristo e com Ele o perdão dos nossos pecados. Veja como nesta carta, Paulo representa Jesus, ele diz: se o escravo causou algum dano a você, ou lhe deve alguma coisa, ponha tudo na minha conta. Eu, Paulo, pagarei tudo. É claro que não preciso dizer que você me deve a própria vida. É mais ou menos assim: Eu, Jesus, perdoo a transgressão deste escravo e não imputo nenhum castigo ou consequências sobre ele, eu mesmo pago pelo que ele fez de errado, pois ele me aceitou como seu Senhor e agora ele é meu. Todos devem a vida a mim, então se eu perdoo este escravo, todos o devem perdoar.


Oh Glória! Graça, favor imerecido. Maravilhosa graça que faz do escravo ladrão e fugitivo, um filho amado de Deus.


Que amor é esse?


Carina Ramos - Ministério Vida