• ministeriovidacwb

Estudo Batalha Espiritual – Parte 13




Dia 19.04.2022


Jesus lutou através da Palavra


Vamos ler o relato da tentação de Jesus no deserto descrita no Evangelho de Mateus:


Então Jesus foi levado pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo Diabo. Depois de jejuar quarenta dias e quarenta noites, teve fome. O tentador aproximou-se dele e disse: “Se és o Filho de Deus, manda que estas pedras se transformem em pães”. Jesus respondeu: “Está escrito: ‘Nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus’”. Então o Diabo o levou à cidade santa, colocou-o na parte mais alta do templo e lhe disse: “Se és o Filho de Deus, joga-te daqui para baixo. Pois está escrito:“ ‘Ele dará ordens a seus anjos a seu respeito, e com as mãos eles o segurarão, para que você não tropece em alguma pedra’”. Jesus lhe respondeu: “Também está escrito: ‘Não ponha à prova o Senhor, o seu Deus’”. Depois, o Diabo o levou a um monte muito alto e mostrou-lhe todos os reinos do mundo e o seu esplendor. E disse-lhe: “Tudo isto te darei se te prostrares e me adorares”. Jesus lhe disse: “Retire-se, Satanás! Pois está escrito: ‘Adore o Senhor, o seu Deus, e só a ele preste culto’”. Então o Diabo o deixou, e anjos vieram e o serviram. Mateus 4:1-11 NVI


Primeiro é importante observarmos que Jesus estava num momento de fragilidade, depois de passar quarenta dias e quarenta noites num deserto, jejuando, tinha uma necessidade: a fome.


A primeira tentação do Diabo foi exatamente onde Jesus estava frágil. O inimigo atacou a identidade de Jesus dizendo: Se és o Filho de Deus. Depois sugeriu algo para Jesus fazer, que o resultado seria saciar a sua fome, ou seja, satisfazer a sua necessidade. Perceba como o Diabo foi astuto, tentou Jesus exatamente na sua necessidade. Mas veja como Jesus foi brilhante em sua resposta:


Está escrito: ‘Nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus’.


Jesus usou a Palavra para deixar bem claro para o Diabo que ele não cairia naquela sugestão que até parecia boa, mas não era. Pois estava afrontando a Deus, colocando em dúvida a identidade de Jesus, que foi firmada pelo próprio Deus, afinal, foi o Pai que declarou abertamente sobre Jesus: Este é o meu Filho amado, de quem me agrado (Mateus 3:17).


(Escrito por Katiany Lins)